quinta-feira, 10 de abril de 2014

MAIS UM CASO DE INTOLERÂNCIA HOMOSSEXUAL: Bill Maher diz que máfia gay forçou diretor da Mozilla a pedir demissão

MAIS UM CASO DE INTOLERÂNCIA HOMOSSEXUAL: Bill Maher diz que máfia gay forçou diretor da Mozilla a pedir demissão

Clique no link abaixo para acessar a reportagem:
http://intoleranciahomossexual.blogspot.com.br/2014/04/mais-um-caso-de-intolerancia.html

‘Conceito de orientação homossexual é invenção’, diz escritor gay

‘Conceito de orientação homossexual é invenção’, diz escritor gay

Clique no link abaixo para acessar: 

http://intoleranciahomossexual.blogspot.com.br/2014/04/conceito-de-orientacao-homossexual-e.html

"...delírios da chamada teoria de gênero, essa invenção de professores desocupados com problemas de identidade sexual." by Luiz Felipe Pondé

"...delírios da chamada teoria de gênero, essa invenção de professores desocupados com problemas de identidade sexual." by Luiz Felipe Pondé

Clique no link abaixo para acessar a matéria:
http://intelectuaisconservadores.blogspot.com.br/2014/04/delirios-da-chamada-teoria-de-genero.html

quarta-feira, 10 de julho de 2013

sábado, 6 de julho de 2013

Ex-gays querem comemorar o mês do Orgulho Ex-Gay pela primeira vez em julho

Ex-gays querem comemorar o mês do Orgulho Ex-Gay pela primeira vez em julho

Movimento encaminhou uma carta ao presidente Obama pedindo mais direitos e tolerância


Uma comunidade dos Estados Unidos (EUA), formada por pessoas que largaram a homossexualidade, querem comemorar pela primeira vez o “mês do orgulho ex-gay” [tradução do inglês: Ex-Gay Pride Month]. Eles aproveitam a deixa do presidente Barack Obama, que reconheceu junho deste ano (2013) como o mês do orgulho gay.

  • VoV ex-gay
    (Foto: Divulgação/VoV)
    Voice of the Voiceless (VoV) [tradução: Voz dos sem voz] representa e luta pelos direitos dos ex-gays nos EUA.
 
 
O grupo busca ainda ter direitos reconhecidos. Reunidos em torno do líder Christopher Doyle, em um movimento chamado Voice of the Voiceless (VoV), eles mandaram uma carta à Obama no dia 18 de junho, pedindo um diálogo com membros do governo. Eles reivindicam tolerância e igualdade de acesso. Antes de enviar esse texto, o VoV já tentou várias vezes agendar reuniões com representantes da Casa Branca, sem obter sucesso.

Doyle, em entrevista exclusiva a versão americana do The Christian Post, explica que a comunidade dos ex-gays não vai ficar esperando que nenhum presidente ou o Congresso forneça o reconhecimento que o grupo merece. “Nós [ex-gays] estamos declarando julho como o mês do orgulho ex-gay. Se eles [governo] querem nos ajudar e entender que as pessoas deixam a homossexualidade e mudam a cada dia, então eles podem fazer isso. Se eles [governo] querem continuar a viver na Idade de Pedra e vão afirmar que nascemos gays e não podemos mudar, isso é uma escolha. Não vamos esperar por eles”, declarou.

O líder do VoV afirmou ainda que a preocupação do presidente e do Congresso em defender direitos e a comunidade LGBT envolve interesses financeiros, já que tem muito dinheiro envolvido na questão.

Doyle reclama que o grupo dos ex-gays não é ouvido pelos veículos de comunicação locais e, para ganhar visibilidade, uma manifestação está marcada para o dia 31 de julho em frente ao Capitólio, sede do governo americano na cidade de Washington DC, na costa leste do país. Grupos familiares conservadores e políticos foram convidados para o evento.

“A mídia e os ativistas gays são extremamente intolerantes com nossos pontos de vista. [...] Eles [mídia e ativistas gays] apenas nos rotularam como fanáticos homofóbicos ou como pessoas que estão negando sua verdadeira orientação sexual. Isso não é verdadeiro. Milhares de nós [ex-gays] mudamos e estamos vivendo uma vida feliz, como qualquer casal heterossexual. [...] Há um lobby de anti-ex-gay”, ponderou e protestou. 
Curta-nos no Facebook

O grupo VoV trabalha para que as pessoas possam se tratar para deixar de ter atração por pessoas do mesmo sexo. Doyle comentou que a igreja pode ser um bom aliado nessa alteração de sexualidade, se desvinculada de antigos paradigmas de pecado: “importante amar e aceitar todos”.
Para saber mais, veja a matéria em inglês do The Christian Post U.S..